Fazes da construção do aeromodelo Aerostar (Trainer). (Original)

Aerostar acabado


Na construção de um aeromodelo, deve-se começar por verificar se já o fizé-mos antes e se estamos preparados para fazer de novo. Caso nunca o tenhas feito ou ainda tenha-mos duvidas, devemos pedir ajuda a alguém que já esteja dentro do assunto. Isso pode ser fácil de obter numa loja da especialidade, ou ainda mais fácil junto de um verdadeiro aficionado deste desporto, chamado AEROMODELISMO. Se nenhum resultar tenta aqui na Internet.

( Pretendo aqui somente mostrar como decorreu a construção do meu aeromodelo, com que dificuldades me deparei e como as solucionei. Esperando ser uma ajuda para quem como eu deseja construir os seus próprios aeromodelos. Por isso não me responsabilizo por nada que possa advir de errado da interpretação do conteúdo desta pagina. )

Laranjinha com motor a combustão

Caso seja o teu primeiro aeromodelo aconselho a começar por um treiner como apresento aqui, caso já tenhas feito ou comprado um, podes e deves começar a fazer aquele avião que tanto sonhas. Presumindo que como eu, já tenhas decidido e apesar de já ter comprado um aeromodelo elétrico (Avião laranja), eu decidi construir um AEROSTAR (Avião branco) com motor de combustão. É sobre este aeromodelo que vou aqui tentar descrever o melhor que posso como decorreu toda a construção, que foi realizada ao longo de vários meses, em algumas horas livres durante os fins-de-semana.

Comecei por consultar o meu fornecedor de material que me ajudou desde a escolha do treiner, obtenção de planos para construção, dicas, modos de construção até á escolha e rodagem do motor. Como planeado não foi ele quem fez o primeiro voo porque as condições atmosféricas não o permitiram, mas tudo ficou pronto. Esse tão esperado voo foi realizado duas semanas após a sua visita, por um aeromodelista também já experiente. Uma pessoa que me ajudou na aprendizagem desta modalidade no aeródromo.

Fuselagem peças Fuselagem plano Asa plano


Agora vamos começar

Plano da fuselagem.Peguei nos planos e dei uma vista de olhos, para saber mais ou menos o que necessitaria. Tendo já informação da madeira necessária comecei por mandar vir toda ela:

  • Balsa 2mm 7 tábuas.
  • Balsa 3mm 2 tábuas.
  • Balsa 6mm 2 tábuas.
  • Balsa 10mm 1 tábuas.
  • Ripas de pinho 4, duas para cada lado da asa.
  • Balsa triangular 2, uma para cada aileron.
  • Contraplacado de 3mm 1 placas, para fuselagem.

Balsa

Elasticos Cachimbo da vela Depositi de combustivel

Comprei ainda alguns acessórios como: Elásticos , Rodas e ferro trem, deposito, Cachimbo vela , tubo combustível, dobradiças para as partes móveis, arames e tubo para os controlos motor,varão de madeira para o leme e profundidade, trem dianteiro e seu apoio, suporte para motor, apoio dos servos e servos e arranjei raios de roda de bicicleta para controlos também, entre outro material que me escapa de momento.

Trem na fuselagem, suporte furos para a fixação dos elasticos Interior fuselagem lugar do deposito
Bancada do Motor. Experiencia para acentar o motor.
Fuselagem peças feitas Vista da fixação do trem Roda
Cauda acertos Tem teste de fixação Colocação do areme de aceleração. Tem montado
Lado interior do deposito com vista da fire wool fire wool interior da fuselagem deposito. Fixação da asa. Trem dianteiro.
Tem Experimentação Fuselegem prota a colar

Tendo tudo isso dei inicio ao corte das peças começando pela fuselagem. Onde comecei por fazer um desenho no contraplacado das duas peças principais (Direita e Esquerda). Tendo o cuidado de copiar o desenho dos planos com o máximo de cuidado para não cometer erros na transposição para as novas folhas de papel que colei depois de recortadas no contraplacado. Ai com um lápis marquei o contorno e cortei com um tictic, mas sempre pelo lado de fora para evitar perder material que fosse importante para a peça. Depois de ter recortado as duas peças eu as coloquei lado a lado e com uma lima grossa retirei o material a mais. Não foi por acaso que coloquei as duas peças lado a lado, estas peças têm de ser simétricas e exatamente iguais, caso contrario podemos ter graves defeitos na fuselagem que podem implicar defeitos quando for voar o aeromodelo. Como o contraplacado é muito pesado, eu retirei algum material do interior das peças para tornar a peça mais leve e em especial da cauda que neste avião como me foi dito é um pouco pesada. A conselho do meu amigo Abel baixei em relação aos planos originais o ângulo de ataque da asa em cerca de 1,5Cm para baixo no lado do motor. O que se mostrou viável pois o avião não tem tanta tendência a subir demais evitando dar trim na profundidade. Depois destas 2 peças concluídas eu dei inicio as peças das cavernas. Sempre com o mesmo cuidado e cortando por fora, fazendo o acabamento com lima grossa e depois mais fina. Seguidamente fiz uma simulação do encaixe destas peças de modo a que estas não ficassem demasiado apertadas ou demasiado largas.

Seguidamente voltei a fazer o mesmo com os topos e o fundo.

Juntei todas estas peças mais a fire wool e experimentei toda a construção antes de colar. Deixei ela tomar forma durante um tempo de modo a absorver as curvas naturais da fuselagem. Colei tudo com cola exposi 5 minutos pois esta parte é a que está mais sujeita a esforços. Colei então todas as peças tendo em conta o uso da cola estritamente necessária pois esta aumenta o peso do avião.
Tendo a fuselagem colada, fiz os acabamentos e assentei as peças para os servos e trens de aterragem. Montei ainda o apoio do motor na fire wool e colei essas peças na ponta da fuselagem terminando esta.

Colocação da dureção e lemes de profundidade.

Seguidamente realizei a construção do leme (Com alguma ajuda do Abel aquando o 1º encontro e voo do Laranjinha com nova hélice para eléctrico.) e leme de profundidade. Tendo ficado a fuselagem praticamente pronta.

Colagem. As duas partes da asa, direita e esquerda. Asa montada na fuselagem. Ponta da asa teste.

Colagem ponta da asa. Bordo de ataque arredondado.
Asa forrada. Flapes teste.

Centro da asa. Colocação da tela na asa parte de baixo.
ponta da asa. Asa completa.

Local do diedro da asa. Teste flaps. Forragem da asa com balsa. colocação das dobradiças dos flaps
Diedro colado. colagem da fibra no centro da asa.
Teste de encaixe das nervuras da asa. <empty>Teste da parte mecanica doa flaps.

Colagem da asa. Flaps Nervuras.


Após estas 3 peças dei inicia à construção da asa, parte que para mim parecia ser mais complexa, mas que se mostrou muito fácil de realizar. Começando por cortar todas as nervuras da asa, e juntando as todas lado a lado para tratamento posterior de modo a ficarem todas iguais como mostra no plano. Cortei ainda as pontas das asas e a balsa para forrar a asa nas partes indicadas no plano. Dispus toda as peças em cima de uma das ripas de pinho e encostadas ao bordo de ataque ainda em bruto. Cortei as peças que iriam ficar entre as nervuras e as marcas equidistantes para colocar a nervura encostada atrás no bordo de fuga na balsa triangular. Verifiquei se tudo encaixava nem e colei as nervuras nas ripas de pinho no bordo de ataque e bordo de fuga (ripa de balsa retangular e triangular) tendo o cuidado de colocar uma placa de balsa por baixo para a cobertura da asa. Deste modo obtive como que uma espinha de peixe na qual depois de seca, pois fora colada com cola de madeira para ser mais leve, ai colei com ajuda de alfinetes as placas previamente cortadas para a cobertura, deixando a descoberto as áreas assim marcadas no plano. Cortei e acertei as peças das pontas da asa e colei-as também com cola branca para madeira. Cortei já no fim os ailerons e coloquei os arames de controlo destes colei tudo.

Motor.
Rodagem do motro.

Colei o diedro numa metade da asas e ensaiei com a outra metade, medindo a altura a que ficava da base da mesa, tendo o cuidado de manter a meia asa bem encostada na mesa que deve ser direitinha e lisa. Finalmente colei a metade com cola de 5 minutos e a asa ficou pronta.
Só faltava abrir o local do servo no centro da asa e assenta-lo.

Finalmente com tudo colado e pronto dei inicio à forragem com tela própria para o efeito e com um ferro de roupa coloquei com cuidado toda a tela da asa leme de profundidade e direção e fuselagem. Colei os lemes na fuselagem e assentei os servos e controlos de motor e lemes. Já no fim e novamente com a ajuda do Abel fiz os últimos retoques e ele assentou o motor, já devidamente rodado.

O motor tem de ter dois tipos de inclinação um para a direita e outro para baixo, estas notas estão marcadas nos planos.
Por fim verificou-se o peso do avião que neste caso nunca deveria exceder os 3Kg, e se a asa e lemes estavam bem dentro das posições corretas. Fizemos a verificação que denominamos de rotina e fomos para a pista tentar voar o modelo. Coisa que nesse dia devido ao vento se tornou impossível, mas mesmo assim ainda convivemos com outros aeromodelistas.


Antes de voar devemos fazer as verificações de rotina.
Agora é só atestar e voar, tendo o cuidado de limpar devidamente depois dos voos.

P.S. : ( Embora as luzes existam desde a construção, foi recentemente que descobri uma nova e melhor maneira de as colocar a piscar.

Alternado o suporte para acrílico.

Foto:

Aerostar Luzes

Os planos para este e outros modelo estão disponíveis. Para os comprares contacta-me: E-Mail

Também podes colocar questões e duvidas no fórum. Para isso visita o People Sharing's inscreve-te e participa)

Por: Duti.


 

Actualizado em (Domingo, 27 Maio 2018 15:46)